Imagens do ATELIÊ ACADÊMICO DO PROJETO REMUE-MÉNAGE 19/07 NO MAM/BA

Relações entre os Gêneros refletidas nas Obras de Arte Contemporâneas

Karla Brunet, Djalma Thürler, Evani Tavares, Marcelo Sousa Brito, Ivana Chastinet, Adailton Santos

Publicités

n.paradoxa: international feminist art journal vol. 30 (July 2012) on « feminist aesthetics »

n.paradoxa is an academic not-for-profit journal published two times a year (Jan, July) from London since 1998. It focuses on contemporary women artists (post-1970) and discussions of their work by women scholars, curators, artists and writers in relation to feminist theory.

 

Table of contents, volume 30 (July 2012)

María Laura Rosa ‘Our bodies, our history: Mujeres Públicas’s activism in the city of Buenos Aires’ (Argentina)

Veeranganakumari Solanki  ‘Aesthetics and Identities:  interview with Reena Saini Kallat’ (India)

Eileen Legaspi-Ramirez (The Philippines) ‘Questions and Answers: interview with Lani Maestro’ (Canada, The Philippines)

‘Frames of Reference’ Rose Garrard: Interview by Anna Bunting-Branch (UK)

Ming Turner (UK) ‘Quasi-skin and post-human: Lin Pey Chwen’s Eve Clone series, 2010-2011’ (Taiwan)

Bracha L. Ettinger (Israel) ‘Artist’s Pages’

Carol Archer (Hong Kong) ‘Womanly Blooms: Cai Jin’s Beauty Banana Plant Paintings’ (China)

Marta Cenini (Italy) ‘Coco Fusco’s Room:Rethinking Feminism after Guantanamo’ (USA)

‘Making Space for Utopia, FAG and the Aesthetics of Activism’ (Canada) Christine Conley interviews Allyson Mitchell and Deirdre Logue

‘Re.act Feminism: feminist, gender-critical and trans-gender performance art’ Katy Deepwell interviews curators Bettina Knaup and Beatrice E. Stammer (Germany, exhibition touring Europe)

Maria Photiou ‘The Green Line: Greek Cypriot Women Artists’ Politicised Practices Lia Lapithi and Marianna Christofides’

Picture spreads on:
Women on the Verge, Duba, Women Artists at Manifesta, Genk, Belgium, Women Artists at Arsenale, Kiev, Women Artists at Documenta 13, Kassel, Germany

More details at:
http://www.ktpress.co.uk

In 15 years, n.paradoxa has published over 400 articles from artists and writers living and working in more than 50 countries around the world.

Mostra Remue-ménage disponibiliza obras literárias para consulta

por Thaís Seixas em 27/06/2012

O que é feminismo? Qual o papel da mulher no mercado de trabalho? O que mudou nas relações entre homens e mulheres? Questões como estas, amplamente discutidas no mundo atual, norteiam o debate promovido pela exposição Remue-ménage, em cartaz no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) até 22 de julho. No Lounge – um dos grupos de trabalho propostos pelo coletivo suíço Charlatan, idealizador da mostra -, o público pode conferir e manusear objetos, fotografias e livros escritos em português, inglês e francês, que tratam do tema principal de Remue-ménage. A consulta ao acervo temporário, que funciona na Galeria 1 do museu, pode ser feita de terça a sexta, das 13h às 19h, e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 19h, com entrada gratuita.

Em prateleiras construídas especialmente para a mostra, estão reunidos clássicos da literatura mundial, escritos por mulheres que fizeram história em épocas distintas, como Clarice Lispector, Hannah Arendt, Simone de Beauvoir e Lina Bo Bardi, além de obras que auxiliam o público a entender a história das mulheres na sociedade, entre elas “Manifesto da mulher futurista”, de Valentine de Saint -Point, “Voto feminino e feminismo”, de Diva Nolf Nazario, e “Mulheres da cidade d’Oxum”, de Antonia dos Santos Garcia.

A estudante Agatha Serra, que visitou a exposição, ressalta a importância da discussão sobre o tema. “Foi importante para mim ver ainda mais de perto a valorização do movimento feminista, que até hoje passa por modificações a favor das mulheres. Achei o espaço do Lounge bastante interessante e incentivador desta discussão”, reflete.

LUTA FEMINISTA – ”Liberdade é pouco! O que eu desejo ainda não tem nome”. Esta frase de Clarice Lispector estampa uma das inúmeros fotos distribuídas entre os livros nas prateleiras, que mostram manifestações feministas em diferentes partes do mundo. Nelas, mulheres seguram cartazes com dizeres “Aborto não deve ser crime”, “Não se cale” e “Direitos reprodutivos são direitos humanos”, entre outros. No local, também estão vídeos, cartazes, flyers, objetos de cunho religioso e sexual e outras referências ao mundo feminino. Enfim, um lugar convidativo para todas as idades e, principalmente, todos os gêneros.

bahiamam.org/?p=5009